segunda-feira, 1 de junho de 2020

Novo/New: RIP Mr. Floyd (31/05/2020)


Em uma frase atribuída ao ator Will Smith, ele diz: “O racismo não está piorando, ele está sendo filmado.”
Segundo o NEABI1 – Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indígenas da UNISINOS – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, o racismo tem como ponto de origem os séculos XVI e XVII, pelos europeus, como fundamento da escravidão e seu mercado lucrativo. Claro que com o passar do tempo e como o ser humano tem uma tendência natural para o mal – e para o bem também - o racismo ganhou outras facetas e a necessidade de colocar outros seres humanos como inferiores e assim subjugá-los e explorá-los a despeito até mesmo dos dogmas religiosos professados ou neles baseados.
A morte do cidadão americano, negro, George Floyd só ganhou notoriedade porque foi mundialmente vista e mostrou ao mundo a mazela que ainda perdura nos EUA. Mas não só nos EUA. Lá, pelo menos é reconhecida e todos sabem que existe, tem cata, fonte e alvo. Lá pelo menos já houve presidente negro, Secretários de Estado negros e outros negros em altos cargos. No Brasil, apesar da propaganda de democracia racial, temos a política do tapinha nas costas e facada nas costelas. É dito que não há racismo, mas o que há é terrível.
A resposta à morte violenta, covarde e injustificável do Sr. Floyd extrapolou a sua localidade e se espalhou por várias cidades, mostrando que a resignação e a paciência estão chegando a um limite perigoso e de graves consequências sociais. Nos EUA a posse de arma é muito mais flexível do que no Brasil e já houve quem tivesse exercido esse direito de modo contundente. O problema é se todos os envolvidos acharem que devem exercer esse direito. O pior ainda, como os brasileiros têm o costume de copiar os costumes estrangeiros, especialmente os que não prestam, essa resposta violenta começar aqui.
E no Brasil? Não é necessário ser um sociólogo, antropólogo, estatístico ou seja lá que especialista for para constatar o “afrocídio” que grassa a nossa sociedade, onde 75% das vítimas de homicídios são negras.
Somos a sociedade na qual as elites sociais e econômicas historicamente basearam sua riqueza e seu poder sobre o comércio e o trabalho escravizando seres humanos, tirando deles até mesmo a dignidade de ter o direito de ter uma alma e assim ser coisificado. E a dita libertação não deu nenhum alento econômico, social e político a cerca de 1 milhão de escravos (dados não oficiaias) “libertos”, que da noite para o dia se viram nas ruas, sem ter aonde ir. Tiveram que ir para as favelas e voltarem ao trabalho quase escravo a quem lhe desse emprego.
O racismo traz em si não só a questão social, de condenação a uma maior dificuldade de mobilidade social e trabalhista, mas também tira do país a possibilidade de usar um potencial criativo, intelectual, econômico e político incalculável. Não é difícil imaginar como seria o Brasil se ele fosse um país mais igual, se os negros libertos tivessem recebido os mesmos benefícios que os imigrantes alemães. Italianos e outros receberam para se estabelecerem.
Foram mais de 300 anos de exploração e nenhum ressarcimento. Graças a Deus o povo negro quer igualdade e não vingança, pois se o morro descer não há força que o segure.
Assim sendo, o assassinato do Sr. Floyd e de milhares de outros anônimos está alertando do perigo de comoção social que pode ocorrer, caso atitudes visando melhorar as condições de vida da população não sejam tomadas e mais, dada igualdade de direitos. Nem mais, nem menos, só igual.
Para encerrar, uma música para animar a alma e um vídeo interessante.

14 de maio - Lazzo Matumbi (Jorge Portugal)(Vídeo)
Mar 4, 2020
Category: Music
Music in this video
Song: 14 de Maio
Artist: Lazzo Matumbi
Album: Lazzo Matumbi, Vol. 1
Licensed to YouTube by
CD Baby (on behalf of Lzz Music & Creative Mkt)

Somos todos parentes(Vídeo)
Dec 31, 2016
Category: People & Blogs

Referência:
UNISINOS/NEABI1 – Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indígenas. A História do Rascismo – Documentário. Publicado em 04 de Fevereiro de 2013. Disponível em http://unisinos.br/blogs/neabi/2013/02/04/a-historia-do-racismo-documentario/ Acessado em 31/05/2020. UNISINOS – Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Movo/New: O Cenário Geopolítico e de Segurança no Século XXI - Partes 1 e 2


Por Rui Martins da Mota

Novo/New: A BBC, as Falklands e a importância do sigilo de informações

Novo/New: Atuação de militar brasileira em operação de paz é homenageada pela ONU

Novo/New: Opinião: Na UE, a próxima geração pagará pela crise de hoje

Novo/New: Avanço da soja cria 'cemitério de colmeias' no interior do Pará

Mais um anúncio de desastre ecológico e econômico iminentes.

Novo/New: Francisco Gomes - CEO Embraer "Um líder não pode mostrar pessimismo ou negativismo''

segunda-feira, 25 de maio de 2020

A arte da Inteligência é assunto de Estado e deve ser primeira prioridade de uma nação

Infodemia: a pandemia de desinformação

5 hábitos indispensáveis para se proteger dos cibercrimes

Pandemia deixará 'cicatrizes' no comércio global, diz brasileiro diretor-geral da OMC

Geopolítica

Como o debate de ideias aprimora nossa inteligência

Cientistas alertaram sobre calor extremo daqui a 50 anos, mas há locais onde isso já é realidade

Documentos da Guerra Fria: história da URSS


Vídeo: Voar Sempre A Noite Netflix? ft Pedro Loos

segunda-feira, 18 de maio de 2020

13 de maio: o brutal assassinato do delegado que se recusava a prender 'escravos fugidos'


Joaquim Firmino de Araújo Cunha foi encurralado por cerca de 200 pessoas na madrugada de 11 de fevereiro de 1888 e morto violentamente dentro casa, onde estavam também a mulher, Valeriana, e os filhos." Camila Veras Mota

A única mulher no deserto: estudo de caso de diversidade

Ensino a distância na quarentena esbarra na realidade de alunos e professores da rede pública

Quanto mais cedo, melhor? O debate sobre a idade certa, os métodos e a avaliação na alfabetização de crianças

O "pensamento sem corrimão" de Hannah Arendt

Suspeito de financiar genocídio de Ruanda é preso na França

Cinco potenciais crises internacionais para além da pandemia de coronavírus

LIVE da Esquadrilha da Fumaça neste Domingo

segunda-feira, 11 de maio de 2020

'Se encontrá-las, corra e nos chame!': cientistas nos EUA alertam para chegada de 'vespas assassinas'


Educação 4.0. O que esperar das escolas depois da pandemia

Seguem dois artigos e um vídeo sobre a nova tendência na área da educação, especialmente depois da pandemia. Novas tecnologias, novos métodos, mais com os mesmos professores, os mesmos alunos, as mesmas estruturas e os mesmos recursos. O Brasil está preparado?


O que esperar da política de desenvolvimento da indústria aeroespacial brasileira? O caso ATMOS

Mineração de OURO e a crise global gerada pelo COVID-19

Novo/New: A Batalha pelo Castelo Itter - Quando americanos e alemães lutaram do mesmo lado!

Novo/New: 16 Sinais de maturidade

Novo/New: 4 hábitos que podem fazer seu chefe desconfiar do seu profissionalismo no home office


Novo/New: Pandemia: Segundo Fabiano de Abreu, "a morte perderá o seu peso, o individualismo buscará razão¨

Teremos guerra no futuro próximo?

segunda-feira, 4 de maio de 2020

Gustavo Cabral, biólogo: “Vacina no Brasil começa a ser testada em animais nas próximas semanas”

EMBRAER: hora de o Estado agir com inteligência e ousadia

Cartas do Paraguai: a guerra na visão de Benjamin Constant

Como ter uma mente aberta: 9 conselhos

Vídeos de óvnis dos EUA: imagens capturadas por pilotos militares mantêm mistério

Final do BBB: vitória de Thelma é 'simbólica', mas não 'desestabiliza' racismo estrutural, diz Djamila Ribeiro

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Yuval Noah Harari: "Maior perigo não é o vírus, mas ódio, ganância e ignorância"

Como o novo coronavírus acentua as desigualdades no Brasil

Roda Viva | Monica de Bolle | 20/04/2020

Tempos de guerra, tempos de aprendizado

Antropologia do crime organizado no Brasil

"Como lidar com o momento atual" - um bate papo com Monja Coen

12 Motivo para ler mais livros

A diferença entre tempo "gasto" e "investido" em 8 pontos

O Dia em que Criamos um Segundo Sol na Terra